Em um dos momentos durante o trajeto em que Jesus carregou a cruz desde Pretório até o Calvário onde foi ele foi crucificado, ele se coloca diante de sua mãe, sem deixar a cruz cair e, chorando, tentando um sorriso, transcendendo tudo que lhes estava acontecendo, lhe diz: “Vês, Mãe, como faço novas todas as coisas”, e antes de terminar sua Via Crúcis é colocado uma placa sobre sua cruz com os dizeres, “INRI” (Ignis Natura Renovatur Integra), "O Fogo Renova a Natureza Incessantemente". Consciência Ignea é justamente esse fogo renovador, latente dentro do homem que assim como Jesus, doou sua vida, negando a si mesmo por Amor a Deus, abdicou os valores desse mundo para servir ao Pai Celestial. A Consciência Ignea é a soma das essências libertas de nosso ego, através de uma batalha árdua contra esse inimigo secreto que a habita dentro de nós.